quinta-feira, 11 de maio de 2017

HINO NACIONAL VERDE AMARELO


Ouviram do golpista as falas ácidas
De um povo triste ao golpe relutante
E o sol da iniquidade sobre o estúpido
Brilhou na sua faixa de farsante.

Se o senhor quer desigualdade
Conseguimos derrubá-lo com braço forte
Não custeio esse golpe
A reforma vai levar o povo à morte.
Ó patriarca sua inhaca
Não se salve!
Brasil, abismo imenso, caso crítico
Contraventor na folgança a justiça esquece
Se a corrupção, filho teu, sonho típico
De quem tem um bom juiz e agradece.
Flagrante em sua própria avareza
És Otelo, és caixa forte, roubando até o osso
E o teu tesouro reflete a tua safadeza

Greve Marcada!
Golpista vil
Fora do meu Brasil
Ó luta armada!
Dos ricos safados és tola mãe gentil
Pátria calada
Não mais, Brasil!

II

Dissimulado eu sei que mente Temer bandido
Ao querer reformar com ajuda do submundo
Fatura, ó golpista, ladrão da féria
Ignorado ao sol até o fim do mundo.
Do que a bezerra mais provida
Teus medonhos dedos usufruindo nos bastidores
"Nossos escroques têm boa vida"
"Nossas dívidas, no rateio, mais credores".
Ó palhaçada
Tão calculada
Salve! Salve!
Brasil, de políticos - inferno frívolo
O ignaro que sustenta o estelionato
E briga o serdes ouro dessa fórmula
Faz no futuro o pior do nosso passado.
Das as injustiças é melhor o boicote
Verás no teu Congresso maioria absoluta
Sem Temer, traidor, vá embora seu velhote
Terra arrasada
Haja Estomazil
És tu, Brasil
Ó putaria extravasada!
Aos filhos pobres dá-lhes colo, ó mãe gentil
Fora Temer
Brasil!


(Vinícius Magalhães)

MINICONTO


NetFitness

- Qual a sua série favorita?
- Três lanches de escadas para fortalecer o glúten.

(VFM)

quarta-feira, 10 de maio de 2017

terça-feira, 9 de maio de 2017

sexta-feira, 5 de maio de 2017

AFLORISMO


Hoje preciso destronar a saudade, pois uma nova lágrima já coroa meu rosto.

(VFM)

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Sambinha modesto

Tributo aos 80 anos sem Noel Rosa (1910/1937). Salve, salve o poeta da Vila!
do morro 
a poesia descamba
pela cidade.
o povo
na corda bamba
da felicidade.
lá vai o patrão,
bolso cheio, ouvidos moucos,
passando alheio
à situação.
do morro
a poesia descamba
pelo violão.
socorro!
tem muito samba
no suor
do coração.
(VFM)

quinta-feira, 27 de abril de 2017

QUADRINHA GOLPISTA


Lá vem a reforma trabalhista.
Há quem queira da Previdência.
O empresário paga a vista
O Temer com antecedência.

(VFM) #ReformaNão